Quais os caminhos que o Engenheiro pode seguir em busca de recolocação profissional?

By | dezembro 12, 2016

carreira de engenheiro

Um dos grandes benefícios de quem decide trabalhar com engenharia é a gama de opções que são oferecidas para especialização. Química, ambiental, mecânica, mecatrônica ou civil são algumas das várias oportunidades. Para melhorar, os dois primeiros anos de estudo costumam ter certo padrão, permitindo a especialização apenas em um segundo momento e permitindo um tempo maior nesta tomada de decisão.

Mas e se você termina sua graduação, entra no mercado de trabalho e, anos depois, resolve que quer mudar de mercado? Como funciona o processo de recolocação profissional? Embora pareça algo simples, alguns cuidados são necessários antes da tomada de decisão para evitar que seja algo precipitado e que leve ao arrependimento.

Cabe salientar que existe uma possibilidade que envolva um risco menor: faz a recolocação dentro de uma empresa que você esteja empregado. Neste caso, se a empresa tiver porte médio ou superior é possível que ela mesma gere oportunidade de uma mudança de área, por exemplo.

Mudanças podem ser necessárias.

Por outro lado, essa mudança geralmente ocorre de outras maneiras, por vezes forçada. É o caso de uma demissão, quando mesmo sem planejamento, você pode se ver obrigado a abrir portas para uma nova profissão ou um novo mercado, afinal ninguém gosta de ficar desempregado com contas para pagar. Em outras situações, a escolha pode vir do próprio engenheiro, seja para uma troca de área ou mesmo uma troca de profissão quando não encontra mais satisfação onde está atuando.

A troca é sempre mais complicada do que se parece inicialmente devido ao alto grau de competitividade do mercado. Alguns desafios na carreira de Engenharia são grandes e poucos conseguem a adaptação rapidamente, já que geralmente quem toma essa decisão não está preparado para algumas novidades que precisará enfrentar.

Para começar, o mercado é dinâmico e ainda mais após o efeito da globalização e a consequência direta disso é que caso opte por uma recolocação profissional, você encontrará um mercado diferente do que era ano antes, quando escolheu a profissão para exercer. É preciso se atualizar e, preferencialmente, fazer isto antes de desligar-se da atividade anterior. Lembrando que nesta etapa também existirão novos profissionais sendo formados e atualizados.

A idade faz diferença para Engenheiros em busca de recolocação?

Outra questão importante é o preconceito. Dependendo da idade, empresas tendem a ter menor aceitação de mudanças profissionais deste tipo, dando preferência aos profissionais mais novos. A teoria usa como tese o desafio citado no parágrafo anterior: profissionais mais novos tendem a ter maior atualização.

Um ponto que costuma passar despercebido é a mudança de ambiente. Mesmo dentro da engenharia, cada nicho tem um ritmo de vida e de ambiente de trabalho diferente e que o profissional precisará se adaptar. Caso a decisão seja ainda por trocar radicalmente de profissão, a dificuldade é ainda maior. A rotina de um jornalista é completamente distante de um engenheiro, por exemplo.

Avalie os riscos e as oportunidades.

Portanto, antes da tomada de decisão é preciso avaliar bem as oportunidades e o risco de ficar algum tempo desempregado, pois essa é uma situação comum de quem busca recolocação profissional. É claro que ninguém quer ficar trabalhando com algo que não tenha prazer ou alegria, mas o arrependimento pode ser ainda pior. Tenha sempre calma e, se possível, consulte amigos, familiares e colegas que tiveram um caminho semelhante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *